quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A emenda e o soneto

A situação em Espanha, devido à Catalunha, agrava-se a cada lance. E não é fácil. De facto, estes presos são presos políticos (ver aqui). Cometeram um crime contra a ordem constitucional, é verdade (mas podem argumentar que Gandhi, Mandela, os Timorenses de Leste, por exemplo, cometeram crimes contra as ordens constitucionais em que viviam), mas não houve qualquer violência, qualquer delito comum (sim, eu sei que são acusados de peculato, mas isso é ainda uma acusação política). Se se confirmar aquilo que parece ser neste momento a tendência das sondagens (crescimento do independentismo, segundo o La Vanguardia), o que vai Espanha fazer? Se um novo governo pró-independência declarar mais uma vez de forma unilateral a independência, o que faz Madrid? Activa o artigo 155 de novo? Manda prender os novos dirigentes e convoca novas eleições? A jogada de Rajoy pareceu inteligente pela rapidez, mas é um grande risco. E estas prisões - no âmbito da lei em vigor, diga-se - podem ser, para os interesses de Madrid, uma emenda pior que soneto.

Sem comentários:

Enviar um comentário