quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O provedor

Para lá do estilo, pelo qual não tenho particular admiração, e da visão ideológica que tem do mundo, que também não partilho, este trabalho de provedor do cidadão, que Marcelo Rebelo de Sousa está a fazer, é meritório. À sua maneira, um pouco histriónica, tenta colmatar alguns défices da nossa democracia. Por exemplo, a contínua tentação das elites governantes em não prestar contas, em deixar tudo o que é desagradável morrer como se não tivesse acontecido nada. Um Presidente da República não é um provedor do cidadão. Contudo, numa democracia como a nossa, onde a herança do autoritarismo aparece nos lugares mais insuspeitos, o papel não é inútil e acaba por proteger o regime de algumas tentações.

Sem comentários:

Enviar um comentário