quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Eleições na Catalunha

A situação na Catalunha, depois das eleições de 21 de Dezembro, está completamente embrulhada. Em número de deputados, os independentistas têm maioria absoluta (70 lugares num parlamento de 135). Contudo, os independentistas apenas têm 47,5% dos votos. Isto parece indicar que os não independentistas têm, em caso de um hipotético referendo, uma maioria garantida. Nem isso, porém, é claro. Os não independentistas somam 50,9% dos votos. Contudo, neste bloco estão contabilizados os 7,45% do CatComú-Podem, o Podemos catalão e os seus aliados, que parecem ser bastante esquivos. Nada garante que parte destes votos, num hipotético referendo, não se desloque para o independentismo. Em resumo, uma salsada das antigas, na qual o senhor Rajoy, com os seus tiques marialvas, sai maltratado. Não resolveu nenhum problema e talvez tenha criado alguns. O não independentismo deve ter atingido o seu pico no dia de hoje, a partir de agora o mais previsível é diminuir por falta de comparência. Do ponto de vista democrático, só um referendo legal poderá resolver a situação. Ora, para isso é necessário mexer na Constituição e na linguagem arcaica e quasi-falangista que transparece no corpo legal espanhol. Será que os fantasmas espanhóis o vão permitir?

Sem comentários:

Enviar um comentário