quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Veneno e sangue

Na decisão de transferir a embaixada dos EUA, em Israel, para Jerusalém, anunciada por Donald Trump, há duas coisas dignas de realce. Em primeiro lugar, o desdém por uma das virtudes políticas essenciais, a prudência. Em segundo lugar, o desprezo pelos sentimentos do mundo muçulmano, como se este fosse uma actor político menor ou mesmo inexistente. Menosprezar a prudência e dar razões para que o mundo muçulmano, sempre tão dividido, tenha uma causa comum significa o quê? Cada semente que é lançada no solo da história germina e acabará, mais tarde ou mais cedo, por ser árvore e dar frutos. Raramente, os frutos que nascem nessas árvores são doces. Por norma, são venenosos e sabem a sangue. 

Sem comentários:

Enviar um comentário