domingo, 3 de setembro de 2017

Continuação da religião

Clausewitz disse que a guerra é a continuação da política por outros meios. Eu, depois de ter a infelicidade de ver as notícias na televisão, digo: a política é a continuação da religião por outros meios. A sério. O Passos Coelho e o Jerónimo Sousa parecem párocos de aldeia a fazer homilias a uma tribo de fregueses desocupados. O Costa dá ares de bispo malandreco, sempre à espreita de piscar o olho à primeira freira que se lhe atravesse no caminho. Já a Catarina Martins e a Assunção Cristas são autênticas irmãs da caridade. De congregações diferentes, claro, mas mesmo assim do mesmo credo. E depois é preciso muita fé - uma fé que só Deus pode dar e ele anda avaro, diga-se - para os podermos levar a sério. Não, aquilo não é política. É religião. Pura e dura.

Sem comentários:

Enviar um comentário